O que podemos concluir com a pandemia sobre a saúde mundial? Entenda

Sem dúvidas a pandemia de coronavírus nos tornou dolorosamente cientes de nossa vulnerabilidade a surtos de doenças.  

Novas doenças transmissíveis originadas em uma parte do mundo podem se espalhar rapidamente para outros países, destacando que a saúde é uma preocupação global. 

Com isso, as pessoas estão mais preocupadas em terem um plano de saúde, seja ele um plano de saúde pessoa física ou empresarial. 

Enquanto algumas pessoas acabam adotando um estilo de vida não tão saudável devido ao isolamento social, muitas outras mudaram os seus hábitos para manter ou promover a saúde do corpo e da mente. 

A grande questão é que nas últimas décadas já foi possível observar um aumento de problemas de saúde. 

Essa mudança está relacionada aos efeitos da globalização, sendo vista não apenas na disseminação de doenças transmissíveis, mas em outras questões. 

Com a pandemia de Covid-19, definitivamente as coisas mudaram, principalmente quando se trata da saúde mundial. 

Se você quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura e confira a nossa opinião sobre o que podemos concluir com a pandemia sobre a saúde mundial! 

Saúde mundial e pandemia de Covid-19

Para chegarmos a uma conclusão sobre o que dizer respeito a saúde mundial e pandemia de Covid-19, precisamos compreender as questões a seguir: 

Movimento em direção à autodeterminação

Como muitas outras crises, a atual crise de saúde deixará um rastro em como interagimos com nosso meio ambiente e uns com os outros. 

Mas, observando as reações iniciais, parece que a Covid-19 e o consequente descarrilamento econômico temporário dificilmente trarão mudanças na concepção e gestão das políticas de cooperação para o desenvolvimento, mesmo no setor da saúde, na perspectiva dos parceiros de desenvolvimento.

No entanto, sem dúvida, aumentará os fatores que estão aproximando os países em desenvolvimento cada vez mais da autodeterminação de seu caminho de crescimento e da escolha das políticas e parceiros mais adequados para acompanhá-los. 

Provavelmente essa não será uma mudança drástica, mas sim uma mudança em evolução.

Agora, cada país descobriu ainda mais a sua fragilidade, refletida na dependência do resto do mundo para satisfazer a manutenção do modo de viver e, ao mesmo tempo, o isolamento e a solidão ao tentar responder a um grande choque na área da saúde. 

Saúde global desaparecida?

O mundo presenciou o surto de SARS em 2002-03 e a pandemia de gripe suína de 2009-10, quando a OMS foi fundamental para uma resposta global. 

Também viu o surto de Ebola na África Ocidental de 2014-15, quando a OMS foi amplamente criticada por não desempenhar um papel de liderança. 

Com isso, não houve dúvidas de que a liderança no Covid-19 viria de qualquer lugar, exceto dos governos nacionais.

Surgiram diferenças políticas gritantes entre os estados em relação a questões básicas, como máscaras faciais, bloqueios e distanciamento social. 

A OMS criticou os países de alta renda por uma “falha moral catastrófica” na alocação de vacinas, e as questões de segurança foram amplamente tratadas em nível nacional, apesar dos conselhos claros da OMS.

Embora a COVAX – programa criado pela OMS para distribuir vacinas -, tenha distribuído mais de 38 milhões de doses para 100 economias no primeiro trimestre de 2021, em meados de abril estava alertando que os suprimentos estavam escassos e que não haveria estoques disponíveis além daqueles já reservados. 

Isso ocorreu apesar da produção acelerada de vacinas e parecia ser devido a acordos anteriores de fabricantes com estados (geralmente de alta renda) sobre suprimentos para suas necessidades nacionais.

O aumento catastrófico de casos de COVID na Índia foi exacerbado pela falta de produtos essenciais para a saúde, de EPI e oxigênio a vacinas. 

Se alguma vez existiu um sistema de saúde global, infelizmente, ele desapareceu quando mais precisávamos dele.

Conclusão

Não é de agora que mudanças estão acontecendo quando se trata da saúde mundial. O mundo mudou muito nas últimas décadas, e isso também afeta tanto a saúde mental quanto física das pessoas.

A Covid-19 mostrou como estamos suscetíveis a ter mais pandemias futuramente, já que uma doença transmissível que surge em um determinado local pode ser facilmente espalhada para outros países. 

Com isso, os órgãos responsáveis pela saúde precisam estar em alerta. Além disso, os governos nacionais também precisam buscar soluções para proporcionar melhorias na saúde da sua população. 

A grande questão é que a saúde mundial foi amplamente afetada desde o ano passado, com o início da pandemia. 

Agora, o comportamento das pessoas mudou (em alguns casos de maneira positiva e em outros negativa) e os órgãos de saúde precisam e os governos precisam estar preparados para o que virá, principalmente quando se trata da saúde da população mais carente. 

Esperamos que você tenha gostado do conteúdo e que ele tenha te ajudado a chegar a uma conclusão sobre pandemia e a saúde mundial!

Comentários estão fechados.