Gírias em espanhol e suas variações ao redor do mundo

Veja um pouco da história desta língua e algumas gírias em espanhol que podem mudar de país em país!

Assim como qualquer outra língua, falar castelhano requer alguns cuidados. Além das peculiaridades de cada país, as gírias em espanhol também podem variar, dependendo de onde se está. Por isso, ter aulas de espanhol online pode ser uma ajuda e tanto para não se cometer uma gafe ou até mesmo falar como um nativo.

Contudo, antes de mergulhar de cabeça nos estudos, é interessante entender mais sobre a origem desse idioma.

Afinal, de onde veio a língua espanhola?

O idioma espanhol tem origem em vários dialetos derivados do Latim, falados na Península Ibérica em meados do século IX. Mais tarde, recebeu o nome de castelhano, por ter se espalhado pelo reino de Castela. 

O nome espanhol mesmo veio de uma tentativa de uniformizar o idioma da Espanha, que constitucionalmente estabelece a língua como oficial no país. 

Atrás do inglês, chinês madarim, e hindi, o espanhol é hoje a quarta língua mais falada do mundo, com cerca de 538 milhões de falantes, de acordo com dados da Ethnologue (2020). É também uma das seis línguas oficiais da ONU – Organização das Nações Unidas e possui uma história milenar.

Chegada nas Américas

Com a  expansão do comércio europeu, a partir do século XV, Cristóvão Colombo buscava as índias e acabou se deparando com o “Novo Mundo” – as Américas. Cheio de possibilidades, a Espanha foi atrás deste novo continente, a fim de ampliar e fortalecer seu estado econômico, se difundindo, principalmente, pelas Américas Central e do Sul.. 

Este pequeno acidente resultou na expansão do idioma, que hoje, além da própria Espanha, é a língua oficial de 20 países: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Guatemala, Guiné Equatorial, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

E nesses países, colonizados pela Espanha, já existiam outras civilizações. Nada mais normal que cada um deles tenha sua própria cultura e, claro, suas próprias gírias em espanhol,  não é mesmo?

Diferentes dialetos

Na própria Espanha, apesar de 99% da população falar espanhol (ou castelhano), existem diferentes dialetos. Entre os idiomas co-oficiais, podemos separá-los assim:

  • Catalão: falado na região da Catalunha, é conhecido como catalão. Em Valência, recebe o nome de valenciano. Nas ilhas Baleares, é chamado de mallorquín. Este dialeto possui origem românica;
  • Galego: falado na região da Galícia e muito parecido com o português devido sua proximidade geográfica com Portugal. É também chamado de português da Galícia;
  • Basco (ou euskera): também conhecido como vasco, é falado no País Basco e em Navarra. O basco, ao contrário dos outros dois idiomas, não possui uma ligação “hereditária” com qualquer outro idioma. 

Além dos que citamos acima, existem os dialetos não oficiais que são falados nas Astúrias: o bable e o aragonês. No entanto, eles não chegam a ser considerados idiomas. 

Evolução dos dialetos

A evolução dos dialetos oficiais da Espanha vem da própria história da Península Ibérica e começou lá nos anos mil. 

  • No ano 1.000 a região onde hoje está a Espanha e Portugal era dominada pelo árabe e moçárabe, falados por 70% da população;
  • Em 1.100, o Reino de Castilha começa a crescer por onde hoje está a Espanha e o castelhano é difundido;
  • Em 1.150, metade da população fala castelhano no território espanhol;
  • Em 1.492, somente o sul do território – que hoje é a Espanha – falava árabe, o restante se comunicava somente em espanhol.
  • Em 1.600, o idioma árabe é banido da Espanha.
  • Já entre 1.700 e 1.900, o espanhol se expande por Aragão e León, o catalão chega até a costa e o vasco (basco) se concentra no norte do país.

E isso tudo aconteceu paralelamente à colonização espanhola pelo continente americano, onde também há diversas variações na língua. 

É por isso que, a depender do local onde se está, podem ser encontradas na língua espanhola palavras celtas, iberas, ostrogodas, guarani, visigodas, latinas, gregas, árabes, francesas, italianas, germânicas, astecas, quéchuas, entre outras. 

Gírias em espanhol e suas variações

Como visto, diversos fatores fizeram com que a língua espanhola tivesse suas variações pelo mundo. 

A linguagem popular é uma rica fonte  de cultura e assim também são as gírias em espanhol. Se em um país uma palavra pode ser um elogio, em outro pode, muito bem, ser uma ofensa. Por isso, muito cuidado!

Veja como exemplo três gírias em espanhol e suas variações ao redor do mundo:

Mamón: 

  • Bolívia: pessoa que mente, que engana
  • Chile: homem apegado a sua mão, filhinho de mamãe
  • México: alguém que não ajuda quando se necessita
  • Colômbia: aborrecido, enfadonho
  • Espanha: mesquinho

Pendejo:

  • Argentina: pirralho, criança mal criada
  • México: estúpido, imbecil, idiota
  • Bolívia: astuto
  • Chile: criança pequena
  • Equador: pessoa lenta, tonta

Cabrón

  • Argentina: pessoa que se irrita com facilidade
  • Bolívia: pessoa sem medo, ousada
  • México: a depender do contexto, pode ter vários significados, como pessoa habilidosa, uma pessoa abusiva, ruim, cafajeste ou até mesmo uma pessoa qualquer
  • Espanha: pessoa ou coisa ruim, pouco recomendável

Viu só? As gírias em espanhol podem significar diferentes coisas. Por isso, estudá-la é essencial para se comunicar corretamente com o nativo de cada país.  

 

Veja também 6 Dicas Que Vão Ajudar Você A Escolher O Destino De Suas Férias

Comentários estão fechados.