Teste de DNA pode ajudar a revelar doenças ocultas: entenda

Hoje, existem vários testes genéticos disponíveis para as pessoas em nível clínico e de consumo. Por exemplo, o teste de Covid ganhou destaque nos últimos meses devido à pandemia do novo coronavírus. 

Quando se trata de testes de DNA, envolvem um cotonete de boca, amostra de cabelo ou um exame de sangue para permitir que médicos e cientistas observem atentamente o DNA de uma pessoa em busca de variações (mutações) relacionadas a características ou condições específicas.

Vale dizer que independentemente de suas motivações para buscar o teste de DNA, você deve sempre consultar um médico sobre a interpretação de seus resultados.

Porém, será que o teste de DNA pode realmente ajudar a identificar doenças ocultas? 

Sim, devido aos exames que são realizados hoje em dia, é possível saber se uma pessoa tem predisposição a ter algum determinado tipo de doença. 

Continue a leitura do artigo e entenda como o teste de DNA pode ajudar a revelar doenças que estão ocultas e quais são essas doenças!

Como os testes de DNA conseguem revelar as doenças que estão ocultas?  

Na maioria das vezes, os médicos usam o teste genético como uma ferramenta para ajudar a confirmar o diagnóstico de uma doença genética em pacientes que apresentam sintomas específicos.

Durante um teste de DNA realizado em laboratório, um profissional licenciado, como uma enfermeira ou um médico, coleta uma pequena amostra de cabelo, pele, saliva ou sangue de um paciente. 

As grávidas também podem dar uma amostra de líquido amniótico (também conhecido como o líquido em torno do feto).

Os testes genéticos (em nível clínico) podem ser usados ​​para identificar 2.000 doenças e condições hereditárias. Alguns exemplos de doenças hereditárias comuns que esses testes podem encontrar incluem:

  • Fibrose cística;
  • Hiperlipidemia familiar;
  • Distrofia muscular;
  • Câncer. 

Testes genéticos de diagnóstico procuram por mudanças específicas no DNA, em genes específicos que são relativamente comprovados por fazerem com que eles não funcionem adequadamente e para que a pessoa desenvolva a doença.

Um dos benefícios desses tipos de testes genéticos é que eles permitem que os médicos possam detectar doenças hereditárias em todas as fases da vida. 

Em alguns casos, se os médicos conseguirem identificar a doença antes que os sintomas progridam para um nível grave, eles podem ajudar os pacientes a planejarem o tratamento da doença.

Isso é especialmente útil para condições como hiperlipidemia familiar, que pode resultar em ataques cardíacos prematuros e derrames. 

Pegar esses tipos de doenças durante seus estágios iniciais (como antes de um primeiro ataque cardíaco) significa que o paciente possivelmente terá mais opções para tratar a doença.

Testes genéticos identificando doença (hereditária) 

Quando uma pessoa saudável sem sintomas tem um histórico familiar documentado de uma doença, como diabetes, os testes genéticos podem analisar marcadores específicos em seus genes que estão relacionados a essa doença.

Os médicos podem então usar essas informações para prever se essa pessoa está em risco de desenvolver a doença. 

Um exemplo claro é a doença de Huntington, que é doença de um único gene que causa demência e geralmente começa quando alguém está na casa dos 50 ou 60 anos. 

Se você tem a mutação associada a essa doença, você vai pegá-la 100%. (No caso da doença de Huntington, essa mutação é uma expansão da região do DNA em um determinado gene.)

Mas quando se trata de doenças que envolvem múltiplas mutações, ocorrendo em um ou alguns genes, determinar o risco de uma pessoa é um pouco mais complexo. 

Algumas condições não são causadas apenas por mudanças em um único gene, mas, em vez disso, toda uma gama de mudanças em, potencialmente, vários genes. 

O teste genético pode ser útil, permitindo que os médicos analisem os diferentes tipos de alterações genéticas. Isso pode dar a eles uma ideia se alguém vai pegar uma doença, quão ruim ela será e talvez insights sobre possíveis tratamentos.

Testes genéticos e a identificação de câncer

Alguns testes genéticos podem fornecer às pessoas informações sobre se elas herdaram mutações associadas a vários tipos de câncer hereditário.

Isso inclui certos tipos de câncer de mama, câncer de cólon, melanoma e sarcoma. Uma mutação relacionada ao câncer bem conhecida que um DNA pode verificar é a mutação do gene BRCA 1/BRCA 2.

Se você tem uma dessas mutações clássicas nos genes BRCA, o risco de desenvolver câncer de mama é alto.

Para algumas pessoas, receber resultados de testes genéticos que dão positivo para uma mutação como essa pode mudar a vida. 

Isso pode tornar essa pessoa elegível para testes adicionais, como câncer de ovário e exames de câncer de mama, começando em uma idade precoce. 

Conclusão 

Com o teste de DNA é possível descobrir se temos alguma doença oculta e, sem dúvidas, isso proporciona grandes benefícios à vida das pessoas. 

Afinal de contas, quanto antes descobrir que temos uma doença – ou temos predisposição a tê-la -, também conseguimos o mais rápido possível nos prevenir e tratá-la. 

Saber que você pode estar predisposto a uma certa característica pode influenciá-lo a fazer mudanças positivas no estilo de vida que pode melhorar sobre a saúde de modo geral. 

Por exemplo, se você descobrir que tem mais probabilidade de ter um peso maior do que a média das pessoas, pode se sentir inspirado a se exercitar com mais frequência na academia ou iniciar um novo plano de condicionamento físico. 

Além disso, alguns resultados podem encorajá-lo a ter conversas importantes com seu médico sobre sua dieta ou plano de condicionamento físico.

Depois desta leitura, esperamos que esteja mais claro para você como o teste de DNA pode ajudar a revelar doenças ocultas e porque a sua realização é tão importante. 

Comentários estão fechados.